Pular para o menu
1341948377
Participação nos Lucros

Hora de unidade para organizar a deflagração da greve

Prazo para que a Petrobrás apresente contraproposta satisfatória se encerra em 12 de julho

10 de July de 2012 às 16:26

destaque

Foto: Graziela Sousa

Greve geral, por tempo indeterminado, a partir de 20 de julho. Esta é a disposição dos trabalhadores e trabalhadoras da Petrobrás no RN. O indicativo foi proposto pelo Conselho Deliberativo da Federação Única dos Petroleiros – FUP, e vem sendo confirmado amplamente em todas as assembleias realizadas no Estado, desde a última segunda-feira, 9 de julho. Com abrangência nacional, o movimento será deflagrado caso a Companhia insista em não apresentar uma contraproposta satisfatória para a quitação da PLR 2011.

Até o momento, a tática adotada pela Petrobrás tem sido a de pagar para ver, apostando no desgaste do movimento. Recentemente, chegou a chamar uma reunião com os sindicatos, mas anunciou, previamente, que manteria a oferta já apresentada, e que fora recusada pelos trabalhadores. Em todo o País, a categoria interpretou essa atitude como provocação. Na última segunda-feira, 9 de julho, foram registradas mobilizações e atrasos no expediente em várias unidades. No RN, essas manifestações foram ainda mais contundentes, com paralisações durante o expediente em Mossoró, Guamaré e Natal.

Preparação – No decorrer da semana, outras bases deverão se manifestar, intensificando as mobilizações. Além dos protestos, os trabalhadores começam a discutir e definir as melhores estratégias para a organização e deflagração da greve, uma vez que o prazo estabelecido pelo Conselho Deliberativo da FUP para que a Petrobrás se posicione diante da proposta encaminhada pelos sindicatos se encerra em 12 de julho.

Para destravar as negociações, as entidades presentes à reunião do CD da FUP propuseram que o mesmo tratamento dado aos acionistas seja estendido aos trabalhadores. Em outras palavras, que o montante destinado ao pagamento da PLR 2011 tenha o mesmo índice de reajuste que incidiu sobre os dividendos. Comparativamente ao exercício 2010, a proposta apresentada pela Petrobrás reduz o montante provisionado para o pagamento da PLR em 7,75%, enquanto que os dividendos pagos aos acionistas foram majorados em 2,33%.

Além de valores justos para a quitação da PLR 2011, os trabalhadores reivindicam a reabertura do processo negocial de regramento do pagamento das PLRs futuras.

Compartilhar: